p

sábado, junho 12, 2010

... justificação... porque me recuso a frequentar certos e determinados locais!

O texto abaixo está no Jornal de Notícias (versão online) de hoje, Sábado, dia 12 de Junho de 2010...

Para quem não acredita aqui vai o link: http://jn.sapo.pt/PaginaInicial/Cultura/Interior.aspx?content_id=1591136

É engraçado ver que o festival, talvez o mais carismático da actualidade, não arranje um patrocinador (Optimus, tmn… wahtever) pelas razões apresentadas!! Vale a pena ler!

"João Carvalho: "Somos os país da malta de Lisboa"
Organizador do Festival de Paredes de Coura lamenta centralismo crescente. Desinteresse empresarial português contrasta com a maior vontade dos espanhóis na associação ao evento
00h30m

SÉRGIO ALMEIDA

João Carvalho, organizador do Festival Paredes de Coura, recorda-se ainda, com uma exactidão quase fotográfica, do primeiro ano em que, ao lado de uma numerosa equipa de voluntários sem experiência organizativa nenhuma, colocou de pé o festival.

O orçamento de 900 euros representou uma parcela ínfima dos gastos actuais, que rondam os dois milhões, mas foi o suficiente para incutir um gosto que nunca mais o largou.
"Começámos por criar um bicho de estimação que entretanto se transformou num monstro", resume.

O tempo decorrido não foi suficiente para apagar os contornos atribulados da organização, que, à falta de telemóveis de terceira geração e Internet de banda larga, lá se desenrascou como pôde, fazendo todos os contactos necessários à contratação de artistas a partir de uma... cabina telefónica.

A reacção da comunidade local também acompanhou essa evolução. A desconfiança inicial deu cedo lugar ao entusiasmo a partir do momento em que se tornou claro que não só os espectadores eram, na sua esmagadora maioria, ordeiros, como também o comércio local poderia obter um retorno financeiro óbvio.

Os indicadores não enganam: em média, nos quatro dias do festival, as caixas de multibanco registam um movimento superior a dois milhões e meio de euros. Mas o impacto não se resume a esses dias, já que muitos dos frequentadores regressam a Coura noutras alturas, com destaque para a passagem de ano.

Espanha cada vez mais perto

Se a Ritmos, nome da empresa que gere o festival, nada tem a apontar ao empenho autárquico e da própria comunidade, menos pacífico tem sido o relacionamento com o tecido empresarial e as entidades turísticas.

Pelo segundo ano consecutivo, o festival não vai ter um patrocinador principal, lacuna essa para a qual João Carvalho encontra uma explicação: "Qualquer director de marketing afirma gostar de Paredes de Coura, mas, quando chega a altura de patrocinar, fica-se por Lisboa. No fundo, somos cada vez mais o país da malta de Lisboa", lamenta.

Idêntico afastamento tem norteado o comportamento das entidades turísticas lusitanas. Na edição deste ano, o Turismo da Corunha vai ter um pavilhão próprio, mas Portugal, pelo contrário, não estará representado, desaproveitando, assim, uma montra de visibilidade inquestionável. "Os nossos responsáveis turísticos ainda não se aperceberam das potencialidades do festival", critica.

O desinvestimento nacional só não assume proporções ainda mais gravosas para o festival, porque a organização há muito que descobriu em Espanha um parceiro estratégico. Além de representarem já 40% das entradas, os espanhóis - não apenas galegos, mas também madrilenos, catalães e valencianos - têm também manifestado o apreço por Paredes de(l) Coura de outras maneiras. A Rádio Nacional de Espanha, por exemplo, vai transmitir este ano cinco horas diárias dos espectáculos, depois de, em 2009, ter difundido três horas todos os dias.
Por muito gritante que seja essa inversão de papéis, Paredes de Coura prepara-se novamente para receber, entre 28 e 31 de Julho, mais uma edição do festival que, ao longo dos tempos, mereceu elogios unânimes de gente como Dave Grohl (Foo Fighters), Josh Homme (Queens of the Stone Age) e Trent Reznor (Nine Inch Nails).

Milagre da sobrevivência

É improvável que, à semelhança do que aconteceu em 2005, Paredes de Coura arrebate o título de melhor cartaz europeu do ano. Mesmo assim, João Carvalho enaltece as virtudes do cartaz, que ainda não se encontra fechado. "Prodigy, The Specials, Peter Hook, Klaxons ou White Lies são razões fortes que justificam uma saltada ao festival", diz.

Com "os preços dos bilhetes mais baratos do Mundo", os festivais portugueses têm-se deparado com uma concorrência mais forte de outras paragens. O director da Ritmos afirma mesmo ser "um autêntico milagre a sobrevivência dos promotores portugueses", já que pagam "'cachets' mais elevados do que os ingleses e têm bilhetes mais baratos".

Ciente de que "existem festivais a mais em Portugal", João Carvalho revela ter recusado, no ano passado, a possibilidade de fazer renascer "Vilar de Mouros", mas acredita que "mais ano menos ano, vai voltar".

O desaparecimento daquele que foi o primeiro evento de rock em solo português só vem dar razão à tese do organizador de "Paredes de Coura", segundo a qual os festivais não são a panaceia que muitos pensam. E dá como exemplo a edição de 2004, onde, apesar da enorme afluência popular e da qualidade elevada dos concertos, a organização teve que arcar com um prejuízo de 300 mil euros. "Esse é o lado mau da nossa função, pois nunca sabemos com o que vamos contar", acrescenta. "


12 Comments:

Blogger Seco said...

Por acaso ainda antes de ontem, precisamente em Coura, naquele bar perto do Rest. do pai da Li, que tem os cartazes de todos os anos, me apercebi da realidade de não haverem patrocinadores...
...no entanto isso não é totalmente verdade.
Eu considero-me um patrocinador do PDC, já há anos que lá vou sem faltar nenhum e nos últimos até compro o bilhete antes de saber o cartaz!!!
Até acho que aquilo se devia chamar Festival Seco Paredes de Coura...
...portanto pobo, esta notícia devia ser ... justificação... porque frequento certos e determinados locais! e não ... justificação... porque me recuso a frequentar certos e determinados locais!

6/12/2010 3:12 da tarde  
Blogger Fumasssa said...

Ora bem... Fui mal interpretado... O porque me recuso a frequentar certos e determinados locais era para siginificar... recuso-me a ir a festivais à capital... participar em cenas na capital... pagar impostos para serem investidos na capital.

6/12/2010 11:32 da tarde  
Blogger Morengo said...

Eu estou contigo fumi... Cada vez mais, acho que devemos lutar por uma independência, começo também eu a estar farto deste centralismo.

6/14/2010 11:32 da manhã  
Blogger Nunes said...

e podemos fazer um pequeno desvio e fuder a catalunha???

6/14/2010 2:01 da tarde  
Blogger Seco said...

A maneira do Braga ser campeão, não é fazendo os outros perder, mas sim fazer o Braga ganhar mais que eles!

6/14/2010 3:42 da tarde  
Blogger Fumasssa said...

Já viram os preços das SCUT??? Uma vergonha. E só cá no Norte é que se paga. No Sul continua tudo na mesma...

6/14/2010 10:42 da tarde  
Blogger Morengo said...

Em relação às SCUT, para mim é de fácil resolução... Não as uso!!!

6/15/2010 12:40 da manhã  
Blogger Seco said...

No sul não há SCUTS!

6/15/2010 9:40 da manhã  
Blogger Seco said...

Revolta-te antes com isto:
Escola fecha 3 anos após renovação!
Ver detalhes em http://www.publico.pt/Educa%C3%A7%C3%A3o/escola-de-barcelos-foi-renovada-e-equipada-ha-tres-anos-mas-fecha-portas-sextafeira_1441941

6/15/2010 9:44 da manhã  
Blogger Nunes said...

Lisboa-castelo branco é uma scut. Parece uma autoestrada, mas nao se pagava. Nao me posso acreditar que assim continue, quando no norte se tem de pagar.
Outra coisa a dizer, e como se pode ver no artigo, a culpa também é nossa!

Levamos as sedes para lisboa e nao investimos no norte... nós estamos a deixar o norte morrer...

6/15/2010 11:52 da manhã  
Blogger Seco said...

Lisboa - Castelo Branco tens 80km de A1 que pagas 3,40 EUR e só a partir de Torres Novas é que tens a A23 que é SCUT, essa estende-se até à Guarda se mesmo assim o interior está desertificado, imagina o que aconteceria se ela se pagasse...
Mas tens razão, não investimos no norte, esse é que é o problema!
A começar em mim...

6/15/2010 12:13 da tarde  
Blogger Fumasssa said...

tens a via do infante... Algarve... Ingleses... Alemães... que não se paga..

6/15/2010 4:57 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home