p

sexta-feira, abril 16, 2010

seco@argel.dz

Boas pobo!
Como a maior parte de vocês sabe, estou em Argel (em Francês (uma das línguas oficiais d’Argélia): Alger, em Árabe (outra das línguas oficiais): الجزائر, cuja transliteração é: al-Jezair, traduzido para alguma coisa que a malta realmente compreenda: "As Ilhas"(não me perguntem porquê, que tanto quanto sei não têm nenhuma)) desde o início da semana e de acordo com o planeado apenas regressarei à pátria mãe no fim do mês.
Escusado será dizer que vim em trabalho uma vez que, apesar da insanidade que me é inerente, esta não é suficiente passar cá tanto tempo para outros fins, muito menos sendo previsto que este período trissemanal seja repetido mensalmente até ao fim do verão… Acalmem lá os pensamentos do costume de: “hei, este gajo é que curte” e “tá sempre no passeio” e … (nem menciono os que vão nas mentes mais criativas) porque, reforço a ideia de que, vim para trabalhar e não me apraz realizar o que seja além disso mesmo! Bem, terei de exceptuar os fantásticos serões de sueca cujo primeiro tive oportunidade de integrar ontem.
Estou a ser bem tratado e condições para o que vim fazer não faltam. Pena é mesmo ficar um pouco refém do circuito hotel -> banco, banco -> hotel, uma vez que a cultura ArabóAfricana e ainda Mediterrânica resulta numa coisa um pouco estranha da qual nem me vou estender em descrições e a língua ainda mais, sendo que consegue ser usada na mesma frase mais que um idioma à escolha entre… bem, entre… …todos os existentes no mundo!? Vá, estou a exagerar, mas considerem os dialectos locais, o Berbere, o Árabe, Francês e Inglês (pelo menos). Vim integrar uma equipa da minha empresa, que tem vindo a crescer desde há um ano, pelo que a integração até está a ser pacífica, com a excepção da língua, cujas primeiras que referi me passam completamente ao lado, o meu Francês ser trés faible (que não sei o que significa, mas sendo a minha nota nos testes, não seria coisa boa com certeza) e o Inglês deles se resume a uma palavra em mil (sensivelmente).
Será difícil deixar aqui muitos mais relatos, pois para contar o mesmo mais vale estar calado… Para isso não acontecer fico-me por aqui, deixando alguns tópicos de diferenças entre povos para desenvolver posteriormente: trânsito, barreiras policiais, higiene, muçulmanos, direitos das mulheres, fim-de-semana, …
Bj*es & big braços

7 Comments:

Blogger Nunes said...

hey seco, tu é que curtes!
eheheheh

gaijo, espero que corra tudo bem e se puderes dá uns passeios e faz fotos...

aquele abraço

4/17/2010 8:38 da tarde  
Blogger Gi said...

Tudo de melhor amigo!Cá estamos:)Beijocas

4/17/2010 8:58 da tarde  
Blogger Bid said...

Seco!!!
Es o maior!
Ve se te aguentas e nao leves tao a serio! Qdo reparares ja ca estas e vais arrepender-te daquilo que nao fizeste!
Aquele abraço!!!

4/18/2010 10:59 da tarde  
Blogger Nunes said...

ei aço!
estive a explorar argelia... no maps, claro e cheguei á conclusao que podias ter ido para algum sitio mais interessante... tipo... açores! Mas tambem podería ter sido pior, em vez de te enviarem para argel, podiam ter-me enviado a mim.

mesmo assim queria dizer-te que se eu tivesse ido para aí havia 3 coisas que nao podia deixar de fazer:
1.- visitar Parque Nacional del Tassili (um dos mais importantes campos de pintura rupestre - logo a seguir ao de foz coa).
2.- visitar Thamugadi e as suas ruinas romanas... um espetaculo! ha la colunas que parecem... nao sei... nao tenho adjectivo. Mas sao fixes porque sao romanas. Tb podes ir á sé de braga ver como se faziam, mas nao é a mesma coisa.
e por fim, mesmo que nao faças nenhuma das duas, tens de encontrar a casa de Rabah Madjer, pedir-lhe um autografo para mim.

e pronto.

ps: eu, se fosse eu no teu lugar, tb me agarrava a umas cervejas e curtia uma suecadas ou uns poquers... mas so depois de pedir o autografo para ti.

4/19/2010 10:34 da manhã  
Blogger mia said...

Suecadas, suecas, direitos das mulheres...cá está o mote para o primeiro tópico de desenvolvimento...conta-nos tudo! São preconceitos ocidentais da nossa parte ou confirmas que por aí as coisas neste aspecto são de facto más?

besos

4/19/2010 1:37 da tarde  
Blogger Seco said...

Muchas gracias pobo.
Vai ser complicado publicar fotos, pelo menos decentes, pois além de não haver muita coisa interessante, é proibido fotografar uma data de coisas por estas bandas...mas farei uma recolha do melhor material para um próximo post!
Vou ver se descubro a casa do Madjer, mas não sei se conseguirei ir lá, o nosso transporte apenas nos leva no percurso descrito e os táxis aqui são partilhados...dizem que também por pulgas e afins!
O Parque Nacional de Tassili deve ser efectivamente muito interessante, mas fica tão longe daqui que só mesmo de avião e teria de perder uma das semanas em Portugal, portanto vai permanecer na incógnita...
Quanto às ruínas de Thamugadi deve ser um local até bem interessante, mas mesmo aí não sei se chegarei, pois apesar de haverem vias de comunicação tipo auto-estradas, o limite é de 80km/h e existem constantes barreiras policiais, que tornam qualquer viagem um pesadelo. Mas a ver..., a ver.
Relativamente às ainda nem uma, é que com a proibição destes gajos beberem, existe álcool em muito pouco sítio, e no que existe é caro pa caralho...
Argelinas...falarei então delas no próximo post!
Mia, continuo à espera do próximo tesourinho deprimente.

4/19/2010 7:44 da tarde  
Blogger Gotam said...

Seco,

Força aí!!
Eu compreendo-te, eu tb não me ia dar bem por essas bandas... tem pouco combustível liquido...

Qt aos argelinos, tenta fazer cara feia, mostra o que vale um tuga!... mas pela janela do avião de regresso..

Abraço e estamos cá para ajudar a esquecer o que de pior há aí...

4/24/2010 2:10 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home